Sentir prá Ver – Exposição Acessível chega a Santo André - Sentir prá Ver

Mídias

Sentir prá Ver – Exposição Acessível chega a Santo André

ABCD Maior – 13 e 14 janeiro de 2015

Painel de abertura da exposição com modulos expositivos tema natureza morta ao lado.

 

13/01/2015 ‐ EXPOSIÇÃO SENTIR PRÁ VER: EXPOSIÇÃO ACESSÍVEL CHEGA A SANTO ANDRÉ

Por: Rafael Revadam (rafael@abcdmaior.com.br)

Mostra no Sesc Santo André explora o conceito de inclusão com obras sensoriais cada toque, uma cena. Cada cheiro, uma frase. Cada som, uma história. Se a arte é para todos, por que não explorá­la com todos os sentidos? Quebrando as fronteiras das pinturas estáticas, a mostra Sentir Prá Ver chega a Santo André com reproduções de obras em relevos, áudios e aromas, apresentando uma cultura que não se vê apenas com os olhos.

“Depois de trabalhar 25 anos com acessibilidade em museus, senti que era hora de montar a própria exposição”, contou a curadora Amanda Tojal. “Em 2012, a Pinacoteca de São Paulo me liberou os direitos de algumas obras para a criação de réplicas. Além de reproduções em tamanho original, pensei em réplicas bidimensionais e tridimensionais, para que os visitantes pudessem tocar e acompanhar os detalhes de cada peça.” Batizada de Sentir Prá Ver, a mostra dialoga com o conceito de inclusão. Os corredores são adaptados para circulação em cadeiras de rodas e a programação interativa apresenta elementos em audiodescrição, textos em braile, materiais táteis e obras com apelo olfativo. “Comecei a perceber que as pessoas portadoras de necessidades especiais não tinham o hábito de frequentar museus, mas representam um público com muito potencial”, revelou Amanda.

Em cartaz até 01/03, a exposição trabalha com artistas conhecidos, como Di Cavalcanti, Almeida Junior e Carlos Scliar. Entre as temáticas de cada pintura, paisagens urbanas e abstratas, retratos, ambientes rurais ou de naturezas-­mortas ganham texturas, cheiros, histórias e novas percepções.

“A ideia é criar uma ação itinerante, que possa ocupar diversos espaços do País. O objetivo é proporcionar um conhecimento das obras de arte com outros sentidos”, orgulhou­se a curadora.

Absorver arte ­ Além das 14 reproduções artísticas em cartaz, a mostra também desenvolve atividades educativas em paralelo. Oficinas de teatro, sons e artesanato buscam mesclar os conteúdos apresentados com as interpretações do público. Já as palestras discutem a acessibilidade como extensão da arte­educação. “Temos um calendário de atividades para o mês de fevereiro, como um curso artesanal de customização de ecobag e uma palestra para professores sobre a inclusão de alunos especiais na sala de aula”, afirmou Amanda.

Estruturada para todos os públicos e com entrada franca, Sentir Prá Ver é um pequeno passo para ampliar o acesso à cultura. É o que conta a curadora: “Eu vejo que a arte ainda é para poucos.

Mesmo nessas exposições com milhares de pessoas nas filas, muitas ações continuam inacessíveis a todos. O curador, quando monta a mostra, pensa nele, em como ele vê, só que as pessoas são diversas. E cada pessoa tem o direito a ver e absorver a arte”, concluiu.

Exposição Sentir Prá Ver

Em cartaz no Sesc Santo André (rua Tamarutaca, 302, Vila Guiomar) até 01/03. Grátis. Visitação de terça a sexta, das 10h às 21h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30.

Informações: 4469­1200

http://www.abcdmaior.com.br/noticia_imprimir.php?noticia=64148