link para o menu
prateleira
Natureza Morta Pedro Alexndrino
texto Pedro Alexandrino
maquete Pedro Alexandrino
relevo Pedro Alexandrino
livro de poemas
contraste Pedro Alexandrino
Pintura de referência
movel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
PEDRO ALEXANDRINO (São Paulo/SP, 1856 – São Paulo/SP, 1942)
Paisagem (estudo), 1896/1910
Óleo sobre tela
Compra Governo do Estado de São Paulo, 1944
Poesia associada à Pintura de Pedro Alexandrino.
ampliar imagem
retorna ao menu
Sem título
Mario Quintana

Cidadezinha cheia de graça...
Tão pequenina que até causa dó!
Com seus burricos a pastar na praça...
Sua igrejinha de uma torre só...
Nuvens que venham, nuvens e asas,
Não param nunca nem um segundo...
E fica a torre, sobre as velhas casas,
Fica cismando como é vasto o mundo!...
(...)
Lá toda vida poder morar!
Cidadezinha... Tão pequenina
Que cabe num só olhar...

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

fecha imagem
Sem título
Mario Quintana

Cidadezinha cheia de graça...
Tão pequenina que até causa dó!
Com seus burricos a pastar na praça...
Sua igrejinha de uma torre só...
Nuvens que venham, nuvens e asas,
Não param nunca nem um segundo...
E fica a torre, sobre as velhas casas,
Fica cismando como é vasto o mundo!...
(...)
Lá toda vida poder morar!
Cidadezinha... Tão pequenina
Que cabe num só olhar...

Natureza Morta Pedro Alexandrino