link para o menu
prateleira
Natureza Morta Pedro Alexndrino
texto Pedro Alexandrino
maquete Pedro Alexandrino
relevo Pedro Alexandrino
livro de poemas
contraste Pedro Alexandrino
Pintura de referência
movel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
PEDRO ALEXANDRINO (São Paulo/SP, 1856 – São Paulo/SP, 1942)
Natureza-morta [uvas e pêssegos], sem data
Óleo sobre tela
Doação Família Azevedo Marques, 1949
Poesia associada à Pintura de Pedro Alexandrino.
ampliar imagem
retorna ao menu
O Destino Espera
Márcio Faraco

A pêra no pé madura
Do pomar, a princesa
Hoje, natureza morta
Na fruteira da mesa

Mesa que ali repousa
Silenciosa na sala
Jacarandá-da-baía
Debaixo de uma toalha

O destino espera
A vida dispara

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

fecha imagem
O Destino Espera
Márcio Faraco

A pêra no pé madura
Do pomar, a princesa
Hoje, natureza morta
Na fruteira da mesa

Mesa que ali repousa
Silenciosa na sala
Jacarandá-da-baía
Debaixo de uma toalha

O destino espera
A vida dispara

Natureza Morta Pedro Alexandrino